ago 19, 2015
temperourbano

Restaurante Picchi

 

Restaurante Picchi. Foto: Tadeu Brunelli

Pense em um lugar super sofisticado e aconchegante, onde você vai encontra uma excelente comida e é também muito bem atendido. É assim que podemos descrever o restaurante Picchi, localizado no Hotel Regent Park, nos Jardins. A casa é comandada pelo experiente chef Pier Paolo, que criou um delicioso cardápio recheado de receitas clássicas italianas.

O toque especial, que se torna o grande diferencial da casa, está no cuidado com a preparação daquilo que é servido aos clientes. Muitos ingredientes são produzidos pelo próprio chef, que é o caso dos embutidos Bresaola, Mascarponde, Ricota e Lardo de Calonata. As massas também são artesanais e produzidas diariamente em espessura delicada.

Em nossa visita ao restaurante, pudemos provar algumas das incríveis receitas do chef. De entrada, pedimos um dos carros-chefe da casa, o Carpaccio de Bresaola, Grana Padano e mini folhas. Como prato principal, escolhemos o Capellini com alcachofrinhas, camarão pistola, açafrão e ervas (R$ 80), e também o Trofie ao frutos do mar (R$ 86).

Capellini com alcachofrinhas e camarão pistola, do restaurante Picchi

De sobremesa, optamos pela Tortinha de mandioca com sorbet de graviola e o Folhado de maça com sorbet de maça verde. Este último parecia uma obra de arte de tão indo!

Folhado de maça do restaurante Picchi

Ao longo do jantar, entre a chegada de um prato e outro, o chef nos surpreendeu com algumas mini degustações de outros pratos do cardápio. Serviu para nos deixar com água na boca e com a vontade de voltar em breve para provar outras receitas.

Aproveitamos a ocasião para conversar um pouco com o chef e resolvemos compartilhar com vocês nosso bate-papo. Confira:

Pier Paolo Picchi

Conte-nos um pouco da sua trajetória profissional?
Desde pequeno, eu adorava cozinhar com minha mãe e avó. Foi com elas que aprendi a desenvolver as melhores receitas italianas com base na tradição familiar. Já na adolescência, lá pelos meus 7 anos, tive minha primeira experiência com a cozinha profissional, quando fiz estágio no restaurante paulistano Filomena, ao lado do famoso e conceituado chef Alex Atala. Mias tarde, em minha viagem à Itália, aprendi a valorizar a delicadeza dos produtos naturais, a dar importância aos artesanais e a respeitar a sazonalidade de cada alimento.

Nesses anos que ficou fora, você passou também pela Espanha. O país influenciou de alguma forma sua cozinha no Picchi?
A cozinha espanhola possui muita técnica e um exemplo disto está na forma como cozinho as carnes – em temperatura baixa. Mas as receitas do Picchi são todas italianas.

Qual o seu prato favorito do cardápio?
Gosto muito de todos, mas declino um pouco para o Vôngole e o Carpaccio de Peixe.

E os ingredientes brasileiros, eles fazem parte das receitas?
Gosto muito de alguns ingredientes brasileiro, como a mandioquinha, pupunha, frutas, queijos artesanais, raízes e temperos.

Além de nós, notei que outras mesas também foram presenteadas com pequenas degustações sugeridas por você. Costuma surpreender sempre seus clientes assim?
Sim. Todos os clientes que visitam o Picchi recebem esta atenção especial. Costumo elaborar o prato conforme o clima do dia, se está calor ou quente, por exemplo. Nesta semana investi no Tortelli, com recheios variados como bacalhau, amaretto, mussarela de búfala com pomodoro.

 

Restaurante Picchi
www.restaurantepicchi.com.br
Rua Oscar Freire, 533 – Jardins

 

 

Leave a comment

Contato

Quer entrar em contato com o blog? Então anote o nosso e-mail: temperourbano@gmail.com